Co-anfitrião: Como ele pode ajudar a administrar um imóvel de temporada?

Co-anfitrião: Como ele pode ajudar a administrar um imóvel de temporada?

Ter um co-anfitrião pode ser uma boa alternativa para otimizar as atividades e os resultados do seu negócio de hospedagem.

Em plataformas de anúncio, existe a possibilidade de determinar um usuário que pode atuar como host principal, e realizar atividades de reserva e interação com os hóspedes.

Essa facilidade pode ser interessante para proprietários que precisam de ajuda para administrar seus imóveis, podendo realizar a contratação de maneira prática e simples.

Por isso, nós preparamos um conteúdo especial sobre co-anfitrião, para você entender o que são e quais as vantagens que ele pode trazer para o seu negócio.

Acompanhe a leitura até o final!

O que é um co-anfitrião?

Um co-anfitrião é uma pessoa designada para ajudar a gerenciar anúncios de aluguel de imóveis, tornando-se um administrador da conta também.

Além disso, ele também pode ser responsável por tarefas na própria acomodação, como limpeza e recepção.

Geralmente, o usuário já é um conhecido ou familiar do proprietário da hospedagem, alguém de confiança que passará a ser vinculado ao imóvel nas plataformas.

A prática já está se popularizando por diversas plataformas, como a Airbnb, e é possível, inclusive, determinar a porcentagem de comissão que é paga ao co-anfitrião a cada reserva.

Dessa forma, tanto o proprietário quanto seu co-host possuirão acesso aos anúncios, bem como às funções disponíveis, como responder clientes e interagir na postagem.

Como um co-anfitrião pode ajudar em relação ao aluguel de temporada?

Contratar um co-anfitrião de aluguel de temporada é interessante para proprietários que precisam de ajuda para gerenciar seus anúncios em plataformas.

Isso pode ocorrer por diversos motivos, como grande demanda ou falta de tempo na rotina do dia a dia.

Assim, ao escolher uma pessoa de confiança, o anfitrião poderá dividir as tarefas e ter um controle maior dos anúncios e reservas.

Além disso, períodos de aluguel de temporada podem ser movimentados, o que aumenta a frequência de contato de possíveis hóspedes.

No entanto, muitas vezes, o proprietário não consegue gerir todos os anúncios sozinho. Nesse caso, um co-anfitrião é uma das melhores alternativas para manter a qualidade do serviço.

Responder rápido e organizar bem as reservas são elementos fundamentais para garantir a satisfação do cliente e a credibilidade da hospedagem.

Por isso, um co-host pode ajudar a otimizar as atividades, melhorar o atendimento e dividir as tarefas com o proprietário.

Quais as principais diferenças entre um co-anfitrião e uma gestão de aluguel por temporada profissional?

Apesar de ambos auxiliarem o proprietário do imóvel em seus anúncios, existem algumas diferenças essenciais entre co-anfitrião e uma gestão de aluguel por temporada profissional.

A princípio, uma equipe é composta por mais de uma pessoa, geralmente uma empresa ou escritório especializado, como a Seazone.

Enquanto isso, o co-anfitrião costuma trabalhar sozinho, sendo uma pessoa conhecida e de confiança.

Inclusive, é possível ter mais de um host auxiliar, mas eles precisam receber permissões individuais um de cada vez, enquanto a equipe de hospedagem já possui acesso para todos os membros.

Além disso, o co-anfitrião possui restrições de acesso a determinadas informações, mas aparece no anúncio como proprietário ou responsável.

Por outro lado, a equipe de hospedagem não se identifica no anúncio, apenas auxilia na administração e controle da plataforma.

As principais tarefas de um co-anfitrião

Ao contratar um co-anfitrião, o proprietário do imóvel pode atribuir algumas tarefas principais e funções da plataforma de anúncios que também ficarão disponíveis.

Confira as atividades que podem ser de responsabilidade do co-host:

1. Produzir anúncios de divulgação

Depois de ser contratado e devidamente cadastrado, o novo usuário auxiliar poderá incluir anúncios de divulgação de novos imóveis.

Por exemplo, incluir detalhes sobre a hospedagem, fotos e descrições. Além disso, poderá aparecer como anfitrião principal para interagir com os clientes.

Em algumas plataformas, como Airbnb, o co-anfitrião também terá a liberdade de definir os preços da diária ou do aluguel por temporada.

2. Gerenciar plataformas de aluguel de temporada

Além de publicar novos anúncios, o co-host poderá acessar as publicações anteriores, bem como gerenciar os perfis do proprietário das plataformas de aluguel.

Com a conta, ele poderá executar atividades como:

  • Interagir com os hóspedes;
  • Organizar reservas;
  • Fazer avaliações;
  • Responder comentários;
  • Atualizar calendários e preços.

Basicamente, o co-anfitrião terá acesso a todas as opções dos anúncios e outras ferramentas que a plataforma de divulgação disponibiliza.

3. Preparar o ambiente para os hóspedes

Além das funções nas plataformas de anúncios, o co-anfitrião também terá a liberdade de organizar um novo ambiente para receber os hóspedes.

Por exemplo, se certificar de que o cômodo está limpo, com toalhas e outros itens, fazer reparos e instalações.

Também poderá ser o guia dos hóspedes pela acomodação e indicar onde estão todos os utensílios necessários para a estadia.

4. Ser responsável pela limpeza do local

Após o fim da hospedagem, o co-anfitrião também poderá se responsabilizar pela limpeza do cômodo.

Ele poderá realizar a organização sozinho, ou contratar uma equipe de limpeza para o local.

Mesmo que essa função seja do proprietário, contratar um co-host ajudará a dividir essas tarefas e gerenciar melhor o negócio.

5. Ajudar os hóspedes durante a estadia

Por fim, o co-anfitrião está autorizado a ajudar os hóspedes durante todo o período de estadia, como o proprietário principal.

Por exemplo, se colocando à disposição para dúvidas ou eventuais necessidades que possam surgir.

Ele também poderá ajudar com o bairro e a acomodação, fazendo sugestões para melhorar a estadia. E em caso de problemas, os hóspedes poderão procurá-lo.

No entanto, vale lembrar que o co-anfitrião não poderá abrir uma reclamação na plataforma de aluguel.

Existe restrições para os serviços do co-anfitrião?

Cada plataforma de divulgação pode estabelecer suas próprias restrições para o anfitrião secundário.

No caso da Airbnb, por exemplo, esse usuário não tem permissão para:

  • Acessar o pagamento dos hóspedes;
  • Fazer avaliações do local como um hóspede (para melhorar a pontuação, por exemplo);
  • Abrir reclamações na Central de Ajuda quanto a uma reserva;
  • Acessar as informações de contribuinte do proprietário.

Por isso, é importante se atentar para as atividades que o co-anfitrião irá realizar, e se poderá atender as necessidades do dono do imóvel.

Quem pode utilizar esse tipo de serviço?

De forma geral, qualquer proprietário de imóvel que realiza aluguel por temporada pode se beneficiar com um co-anfitrião.

Além de ser uma pessoa de confiança, também possibilita a divisão da quantidade de tarefas, podendo otimizar o negócio.

Mesmo hospedagens pequenas ou não-comerciais podem contratar um co-host. Inclusive, é a melhor opção para acomodações com um volume de demanda médio ou grande.

Vale a pena contratar um co-anfitrião para aluguel de temporada?

Se você possui vários anúncios de divulgação dos seus imóveis e sente dificuldade em gerenciá-los, contratar um co-anfitrião de aluguel de temporada pode ser uma boa alternativa.

Especialmente porque as plataformas disponibilizam todo o acesso para os usuários, permitindo administrar os anúncios e as reservas.

Além disso, essas pessoas também poderão ajudar na organização da hospedagem e na relação com os hóspedes.

Assim, vale a pena considerar um anfitrião secundário para o seu negócio, para aumentar o alcance e a credibilidade dos seus imóveis.